NOTÍCIAS

16 de Março de 2017

Curso de Extensão em Vendas

O curso será ministrado por José Amaro Pedron nos dias 02, 03,04 e 05 de maio, das 19 às 22h, na CDL....

30 de Jul de 2018
Mercado de crédito segue melhorando
X
Mercado de crédito segue melhorando

O estoque total de crédito do sistema financeiro nacional (incluindo recursos livres e direcionados) registrou variação de 0,7% entre maio e junho e cresceu 1,7% frente ao mês de junho de 2017, totalizando R$ 3,1 trilhões, conforme o Banco Central. Como proporção do PIB, o montante total de crédito foi de 46,8% ante 46,7% no mês anterior. Na região Sul, para operações iguais ou superiores a R$ 1 mil, o estoque total de crédito foi de R$ 572,3 bilhões em junho, com alta de 0,7% frente a maio, e registrando crescimento de 4,5% na comparação interanual.

As concessões de crédito livre tiveram variação de 2,6% em junho na comparação com maio, na série com ajuste sazonal, refletindo, sobretudo, a alta (2,6%) nas concessões para pessoa jurídica. Relativamente ao mês de junho do ano passado, as concessões com recursos livres tiveram aumento de 7,4%. No acumulado em 12 meses, até junho, as concessões cresceram 9,7%, resultado das altas de 10,2% para pessoa física e de 9,0% para pessoa jurídica.

A taxa média mensal de juros, para as operações de crédito com recursos livres diminuiu 0,6 p.p. em junho, registrando 38,5% a.a.. Para pessoa física a taxa passou de 53,8% a.a. para 53,2% a.a. e na pessoa jurídica a média diminuiu de 20,6% a.a. para 20,2% a.a.. A inadimplência superior a 90 dias, também para as operações com recursos livres, passou de 4,6% para 4,4% entre maio e junho. Este resultado reflete a redução (-0,3 p.p.) apurada na pessoa jurídica (com inadimplência em 3,8%), enquanto que para pessoa física a inadimplência permaneceu em 5,0%.

A melhora do mercado de crédito é um ponto positivo dentro de um cenário de recuperação econômica. Se por um lado até poucos meses atrás apenas o crédito para pessoa física era quem puxava a retomada do crédito, atualmente se observa uma gradual recuperação no crédito para pessoa jurídica. Além disto, a contínua redução da taxa de juros, ainda que pequena, favorece o acesso ao crédito.

FONTE: Fecomércio RS - SESC | SENAC